sexta-feira, 21 de julho de 2017

Caso CONCRETO de amor!

Arte da BEM BONITO.

Sobre artesanato, às vezes ouço: “Bonito, mas é muito caro.” Realmente, o amor não é produto que se pechinche, não é trabalho escravo, não é reproduzido em série por máquinas, não é precisão, não é vulgar... É único. E fiquem tranquilos, pois há promoção e ofertas no feito à mão: o artesão promove afeto e oferta tempo, dedicação, uma entrega que não tem preço. Os cifrões existentes são para custear matéria-prima, subsistência e aperfeiçoamento, seu trabalho é a arte e só quem trabalha de graça é o relógio. Ou você, que gosta de colocar preço no trabalho alheio, trabalha de graça? Uma coisa é não possuir verba para adquirir, outra é desdenhar...

Depois de tanta revolta (preguiça desse mundo), pós-desabafo, falarei de coisas muito mais que demais, daqueles frutos que mãos + corações são capazes de colher: peças em concreto. A Blokk Concreto e o artista Jorge Emiliano, ambos moradores da terra com nome de lanche (Bauru), ressignificaram este material altamente utilizado na construção civil. Agora chega desse léro-léro e vamos deixar as fotos falarem, minha gente!


Vamos começar por ordem alfabética, "B" de Blokk:
  • Blokk Concreto




Curtiu? Eles possuem um CATÁLOGO cheio dessas bonitezas. Para adquirir é só entrar em contato pelo INSTAGRAM ou pelo e-mail: oi@blokk.com.br. Eles respondem rapidinho, na maior simpatia! 

Agora vamos falar do arteiro:
  • Emiliano




Essa pessoa já é figura carimbada nesse Blog, já escrevi sobre esse ser multitalento. Emiliano domina várias técnicas artísticas, só clicar no "AQUI" e conferir. Agora voltando ao cimento, através do INSTAGRAM ou FACEBOOK, você pode escolher seu lindo vaso e entrar em contato com o artista arteiro. Eu já escolhi os meus: 

Gravura e vasos do Emiliano. Os vasos são entregues com as lindinhas das suculentas. 

Pássaro de Concreto, Vaso Octo e Porta Velas Cubo, tudo da Blokk Concreto. No lugar das velas coloquei suculentas plantadas em cápsulas de café. Nunca antes nesse país vi reciclagem mais encantadora pra essas cápsulas. Comprei as minis fofolets verdejantes no Ceasa de Bauru, Loja Garden Sol, Box 2.  


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Senta que lá vem a história...


A história principiou quando o substantivo deu lugar ao verbo. Nessa narrativa o substantivo feminino “arquitetura” foi excluído do enredo e sucedido pelo verbo “arquitetar”. E, como todo bom verbo, precisou de um agente, de alguém que praticasse a ação: os hansenianos. Esses, banidos do convívio em sociedade, marginalizados pela ignorância, foram compelidos a arquitetar novos planos, pois sonhar era impraticável. 
Por sofrerem com o preconceito ao longo do tratamento e após a cura, mesmo não transmitindo mais o bacilo, projetaram um pequeno vilarejo cuja prioridade era a funcionalidade dos ambientes, eliminando, assim, ornamentos e qualquer estilo arquitetônico, já que o foco estava em conceber um lar para viverem em paz.
Ano passado fotografei algumas dessas construções, elas ficavam próximas ao Instituto Lauro de Souza Lima, em Bauru/SP, bem distante da cidade, imagens logo abaixo. Hoje já não é possível encontrá-las, foram demolidas. Caso tenha interesse, a história permanece através do MUSEU do referido Instituto, antigo asilo-colônia Aimorés, local em que os doentes eram internados e isolados compulsoriamente até a década de 60.












No vídeo a seguir, a história do Asilo-colônia Aimorés, futuro Instituto Lauro de Souza Lima, atualmente referência no tratamento da hanseníase.


Informe-se sobre o contágio e tratamento, a pior doença é a ignorância e seu sintoma o preconceito.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Pé na COZINHA!

Imagem site pixabay

Cozinha é ponto de encontro entre quem coze e quem come. Nela o cozinheiro destina seu tempo para suprir as necessidades do corpo e da alma dos degustadores. Cozinhar é uma forma de amor. Por isso, esse é um dos meus cômodos preferidos. Além de ser comilona e desbravadora "profissional" de sabores, penso que não há nada mais acolhedor que comer bem ao lado de quem nos quer bem. Uma verdadeira fortuna!

Imagem pixabay


Nesse espaço amado acontece o casamento perfeito: o cozinhar contrai matrimônio com o receber. Dedicar tempo selecionando toalha, guardanapos, copos e taças, louças e talheres, faz parte desse enlace. Uma refeição deliciosa faz jus a esse ritual de apresentação. E para ajudar os pilotos de fogão a manter essa aliança, vou mostrar o que a MARTYE´S PRESENTES tem. Sigam-me!











O que é que a Martye's tem? Tem para todos os gostos e bolsos: da porcelana à cerâmica, do cristal ao vidro, da prata ao inox, do luxo ao dia a dia, do caro ao barato. Tem graça como ninguém! Chega lá, meu povo! 

❤ Martye's Presentes:
  • Rua Araújo Leite, 37-17. Bauru/SP. (14) 3227-7631.
  • Rua Plínio de Godóy, 74. Piratiniga/SP. (14) 3265-2537.
  • Facebook
  • Instagram

As tolhas rasgadas e as louças trincadas que me perdoem, mas beleza é fundamental! E digo mais... beleza, nesse caso, se põe à mesa! 


domingo, 30 de abril de 2017

Como enriquecer um poste vulgar

Caminhando contra o vento, sem lenço, sem documento, no sol de setembro de 2016, com uma câmera na mão, registrei o que hoje, infelizmente, vive apenas em foto: a intervenção urbana de uma criatura que plantou amor pela rua fixando vasos no poste.


Essa vida que brota em latas, localizava-se em um poste na Rua Dr. Fuas de Mattos Sabino, quase esquina com a Rua Semi Gebara, em Bauru. Agora já não estão mais lá. O espírito de quem não ajuda e atrapalha também fez sua intervenção, só que imbecil: retirou TODOS os vasos.
É, minha gente... respeito e educação viraram artigo de luxo! Mas... nem tudo estava perdido, semanas depois, encontrei mais um poste, este estava carregado de latas e, para nossa alegria, vai muito bem, obrigada! Bem cuidado, verdinho, verdinho...

Quem estiver em Bauru, pode encontra-lo na Rua Antônio Alves, quadra 13. Que a anta passada com espírito de porco não leia essa postagem. Oremos! 


Tá! Mas depois de tanto tempo tá falando nisso agora por quê? Então, pessoa que lê, após escolher o poste e mendigar lata pra todo mundo, para plagiar a ideia, precisa pintar, né?! Só agora consegui, dá um zóio na lataria arrasa quarteirão:




É isso, pe-pessoal! O que é bom merece propagar. Não curtiu? Fale na lata ou cale-se para sempre! E, preferencialmente, não furte as latas, estorvo da raça humana!

♥ Agradecimentos: 


quarta-feira, 22 de março de 2017

Nó até em pingo d'água!


Numa necessidade mútua, artesã e corda se amarram. As mãos e os fios enlaçam vivências que, embora tão pessoais, cunham resultados incrivelmente harmoniosos, capazes de surpreender qualquer credo, raça ou cor. O ser é o principal instrumento nessa confecção. A artífice combina nós manualmente, sem maquinário ou ferramenta, resgatando um artesanato antigo, muito familiar aos olhos e ao coração. E, assim, nasce um produto com afeto e função: suportes de macramê trançados pela GALHO. Chega mais, venha ver o que surge das mãos talentosas da Talita...

Essa moça classuda que ama os animais é a Talita e a foto com alma é da Helena Peixoto.

Fotografia Helena Peixoto. 






Essas tramas que encantam, sustentam vasos, garrafas, cestas, caixas, bandejas e o que mais você sonhar. Só contatar a Galho pelo FACEBOOK ou INSTAGRAM. A gracinha da Talita faz suportes personalizados que são puro luxo! O céu é o limite pra quem dá nó até em pingo d'água!

Observar tamanha boniteza me fez dar corda, literalmente, para a imaginação. Fui inspirada pelas tramas da Galho: desenvolvi um suporte para banheiro pendurado por cordas. 


Esse suporte vai para uma casa rosa de janelas verdes em São José do Barreiro, Minas Gerais. Um retiro de paz e encanto com vista para a Serra da Canastra. Lugar mágico que uma família boa dimáis da conta construiu!

❤ Agradecimentos
Valério Móveis: tábua de pinus;
Broto Novo: verniz.